Páginas

quinta-feira, 3 de março de 2011

Carta de Despedida...




Já não aguento mais!
Este sentimento que guardo no peito mata-me aos poucos...
Já não sei o que me magoa mais, o facto de não me amares ou o facto de não ser nada para ti.
Não consigo perceber como conseguiste esquecer tudo o que vivemos de um dia para o outro, como?
Eu algum dia fui importante para ti?
Os beijos que demos, os olhares que trocámos, os jantares que partilhámos, os luares que observámos, ainda te lembras?
No dia em que tudo mudou julgaste-me sem eu ter culpa de nada, acusaste-me de algo que nunca fiz, muito pelo contrário, quem fez foste tu. E depois, mesmo sabendo a verdade, mesmo sabendo que tinhas sido injusto comigo, preferiste esquecer-me do que assumir a tua culpa.
Mas, mesmo sabendo que não tinha culpa de nada, humilhei-me, pedi-te desculpas, sem mesmo saber o porquê de te pedir desculpas, tentei falar contigo, explicar o que tinhas ouvido mas, mesmo assim, preferiste ignorar-me. Foste de uma frieza para comigo como nunca imaginei ser possível. Preferiste acreditar nos outros do que em mim, a tua princesa, a tua bebé, como me costumavas chamar, lembras-te?
Desde aquele dia que já não sei quem sou. O meu olhar perdeu o brilho, a boca perdeu o sorriso e o coração perdeu a felicidade.
Sei que só me magoa mas ainda guardo todas as nossas lembranças. Quando estou sozinha vejo as nossas fotos, relembrando aqueles momentos em que fomos tão felizes juntos e as lágrimas, que se tornaram minhas companheiras, descem pelo meu rosto em silêncio, acompanhando o ritmo da nossa música.
Mas não posso continuar à espera do dia em que voltes para mim pois, se não te tirar do meu coração rapidamente, a dor vai-me continuar a consumir aos poucos até não haver mais nada a consumir. E eu não quero isso.
Vou tentar tirar-te do coração!
Não vou tentar esquecer-te pois, apesar de toda a dor que me provocaste, os momentos que vivemos juntos foram únicos e especiais e vou guardar para sempre, com carinho, as nossas memórias. Mas serão apenas isso, memórias!
Onde quer que estejas, espero que estejas bem e se estiveres com alguém espero que te faça feliz, pois não desejo a ninguém a dor que senti quando te perdi.
Sê feliz, que eu vou tentar sê-lo.






Um beijo daquela que ainda te ama...

2 comentários:

  1. admiro tudo o que conseguiste exprimir para fora de ti. adorote mana

    ResponderEliminar